blog do Bem!


A excelência começa por você

Olá Amigos do Bem!

Hoje começo compartilhando um sentimento com todos: aqui realmente é o lugar dos amigos do Bem!

Diariamente recebo e-mails de pessoas propondo idéias, trocando textos, pedindo informações sobre lugares para serem voluntários, gente ligada em querer fazer o Bem! Mas nesta quinta feira, um amigo do Bem!, o empresário Flavio C.Magalhães, que leu a história do jovem da Paraisópolis (publicado no texto "A ONU é aqui"), foi além dos e-mails. Decidiu doar um computador de sua empresa para que aquele jovem possa produzir o site JPUrgente da comunidade. Mas o que mais gostei é que o Flavio irá pessoalmente na classe de aula do Projeto Mutação para participar, dar seu testemunho de vida aos jovens, e fazer esta agradável surpresa ao Rafael. Tenho certeza que todos ganharão com esta TROCA.

Obrigado a todos que ofereceram suas colaborações, serviços, materiais, roupas, e ajudaram como sentem que podem. Assim se faz o Bem, com pequenos desprendimentos daquilo que temos de bom para oferecer.

Então vamos lá, depois dos agradecimentos, deixo aqui um texto para reflexão sobre a excelência pessoal e profissional.

Abraços, Bom fim de semana! Seja Feliz!

Marcos Aranha Ü

Quem conhece nossa empresa de consultoria de Desenvolvimento Humano sabe que o slogan é: "A excelência começa por você" pois acreditamos que nenhuma pessoa ou empresa pode ter excelência nos resultados de qualidade e satisfação dos clientes, se não houver a excelência do capital humano e dos processos. Uma empresa sem clientes satisfeitos e leais é uma empresa mal sucedida. Uma pessoa sem amigos felizes e leais é uma pessoa..., bom deixa para lá, vocês sabem.

Para a excelência se tornar uma realidade, é preciso, falar menos e agir com foco e persistência. Definir o que é a "Excelência" é o primeiro passo. Afinal, o que é excelência para você? Pare e pense antes de continuar a leitura.

De mais um tempinho antes de ler o resto...o que é excelência para você?

Parece simples? E pode ser. Mas no caso de empresas, é um pouco menos simples, pois o que é a excelência para o presidente, não é a mesma para o funcionário do chão de fábrica, nem para quem atende o telefone. E isto é o mais difícil de se estabelecer - um critério simples e comum do que é a excelência -  dado o enorme abismo cultural, econômico, de necessidades, de linguagem e de valores. Na prática, o que noto nos dias de hoje é uma grande dificuldade de se implementar a excelência na vida pessoal e nas empresas, por falta de foco, metodologia e compromisso. Muitos dizem que isto é um problema para suas vidas, e continuam desorientados.

Mas como na vida "problema" é a insatisfação com a realidade, ou seja, a diferença entre o que se constata no momento e o que se esperava dele, basta termos clareza das expectativas passadas para então solucionar o que poderia ser chamado de problema no presente.

Infelizmente, a cada dia vejo mais gente querendo o poder, o reconhecimento e a realização para si próprio, sem jamais incluir o próximo. Como a excelência pessoal e profissional poderá existir para esta gente, se a base deste planeta está na troca, nos relacionamentos? Como gerar satisfação e leadade de clientes se o foco está em si mesmo e não no próximo?

A excelência pessoal deve ser encarada como uma somátória de papéis que cada um de nós temos na vida, pois todos eles estão integrados e interligados aos de outros. Todos são importantes, mas nem todos são urgentes ao mesmo tempo.

Pergunte-se o que uma pessoa que tem excelência na sua condição física e valoriza a saúde tem a ganhar quando estamos discutindo em uma reunião de negócios sobre qualidade de produtos e serviços? Pergunte-se o que ela poderá colaborar quando intelectualmente está aberta, atualizada, com uma gama de conhecimentos diversos, habilidades múltiplas, uma atitude mental positiva e inteligência emocional equilibrada? O que ela tem a colaborar quando valoriza a família, os amigos, os companheiros de trabalho, a sociedade e o lazer? E quando tem excelência quanto a valores e princípios universais? Agora faça as mesmas perguntas sem considerar a excelência e verá que os resultados serão comprometedores em relação à qualidade e satisfação dos clientes.

Está tudo integrado, impossível separar, um será reflexo do outro, não adianta tapar o sol com a peneira.

Todos nós saímos de casa para ganhar, para sermos vencedores. Não conheço quem sai para perder. Portanto, comece a excelência por você e se quer vencer:

- Escolha uma metodologia para fazer este trabalho. Defina claramente o que é a excelência para cada papel em sua vida. Registre quais são suas expectativas pessoais, e em relação aos outros.

Quanto aos objetivos de excelência a serem alcançados: - Faça seu Plano de Vida, além do seu Business Plan empresarial. Onde quer chegar, como quer chegar lá? - Foque nas suas motivações, estabeleça seus critérios de excelência e tenha flexibilidade para mudá-los durante a vida, pois você evoluirá.

- Planeje sua vida em todos os seus papeis, do físico ao espiritual, passando pelo intelectual, familiar, ócio, social, profissional e financeiro, com objetivos, metas e plano de ações consistentes e coerentes. Lembre-se de que nada é estático e que o equilíbrio é dinâmico. Haverá momentos onde algum papel terá maior prioridade, e você notará algum desequilíbrio em relação a outros. Cuide para não deixar outros totalmente de lado. Todos são importantes, todos estão integrados. Estabeleça índices que servirão para medir e gerir a melhoria (um exemplo fácil: se você estabeleceu querer melhorar seu físico, estabeleça o que é o inascetável, o ruim, o regular, o bom e o ótimo, para que depois possa definir onde quer chegar, ter um critério de medição e gestão).

Uma vez que você tenha claros seus critérios de excelência, expectativas, objetivos, metas e plano de ação, compartilhe e alinhe-os com os demais que impactarão sua vida, na sua grande rede de relacionamentos de cada um dos papeis. Na hora de definir a excelência empresarial, ajuste o foco e também use uma ótima metodologia para garantir o compromisso de todos. Depois, defina índices de excelência para medir, gerir e seguir melhorando.

O que você vai fazer este fim de semana?

Uma dica: - invista algum tempo nisto, acerte seu Norte para evitar viver desnorteado. A excelência começa por você.


Publicado às 23h35.
Antes de agir, pergunte-se: estou consciente das consequencias e responsabilidades do meu ato?




[[ Clique aqui e indique para um amigo. ]]


Não seja adulto

Olá Amigos do Bem!

Hoje você poderá ler e refletir sobre um texto escrito pelo amigo do Bem, Pedro Paulo Cruz.

Abraços, Marcos Aranha Ü

Não seja Adulto.

Algumas das grandes qualidades de uma criança são a curiosidade, e principalmente, a sua aliança a uma total falta de medo de errar.

Fica fácil compreender porque aprendemos tanto, quando crianças, e porque de tantas mudanças de postura e inconstâncias em nossa personalidade nessa época.

Isso também ajuda a aceitar nosso "engessamento" no aprendizado, e o quanto ficamos "enferrujados", na idade adulta, quando entramos numa estabilidade emocional, com uma autocrítica castradora.

É nos primeiros anos de nossa vida, que temos um menor "senso de ridículo", e menor conhecimento das "coisas da vida". Nessa fase, nos expomos mais, e por conseqüência, aprendemos mais também.

Não existe aprendizado sem experiência, e nem sempre a experiência dá certo. O pior é que, nem sempre entendemos o por quê desse fracasso, e erramos novamente, seguidamente até o aprendizado acontecer, até entendermos o mecanismo da coisa.

O nosso crescimento fica prejudicado por alguns "valores" adicionados pela sociedade, à nossa personalidade. Fala-se que: "Errar é humano, mas errar duas vezes é burrice".

Quem disse que após o primeiro erro, já compreendemos a situação, e que isso foi o suficiente para absorver os ensinamentos necessários para não errarmos novamente.

Erre 1,2,3,4,5...n vezes, não se incomode, mas nunca deixe de tentar entender a lição que a vida está lhe oferecendo. Mas esteja sempre curioso e atento.

E como dizia um grande Cientista: "Louco é aquele que espera resultados diferentes, agindo sempre da mesma maneira". Com isso em mente, ao errarmos, temos de analisar e tentar novamente, mas agindo diferentemente, para termos outros resultados, de preferência mais acertados.

Perguntar, questionar, tudo é válido nessa batalha contra o fracasso. Quanto mais experiências, cultura, informações, mais consistência terá sua ação, e menor será a possibilidade de fracasso.

Infelizmente, com o tempo, não temos mais o desprendimento em questionar, questionar, questionar, até compreender. A idade trás um ego que atrapalha muito o crescimento. É muito importante lutar contra isso diariamente.

É incrível como nos vemos respondendo: "Conheço sim", ou "Sei sim", encerrando algum assunto que não temos o domínio, acabando com uma oportunidade de entendermos mais sobre algo que, por "Ego pequeno", afirmamos conhecer, diminuindo a importância de uma explicação mais detalhada ou esclarecedora.

Atitudes como a de defender um ego bobo, tem de ser combatidas. Temos que sempre ter a humildade de assumir que não compreendemos, para aprender, para crescer.

Veja no seu dia-dia, quantas vezes você já impediu que um conhecimento chegasse até você, apenas por não assumir a necessidade de possui-lo, e o quanto você já perdeu por isso. O aprendizado seria duplo, o do assunto em questão, e o da humildade.

Agora o mais interessante, é que damos a essa atitude um adjetivo inadequado, falando "Não seja CRIANÇA, assuma que não sabe". Quando deveríamos falar, "Não seja ADULTO, não tenha medo de não saber".

Pedro Paulo Cruz


Publicado às 00h07.
Antes de agir, pergunte-se: estou consciente das consequencias e responsabilidades do meu ato?




[[ Clique aqui e indique para um amigo. ]]


A ONU é aqui

Olá Amigos do Bem!

Hoje venho pedir sua ajuda.

Como vocês devem estar acompanhando, a zona do Anhembi foi declarada território da ONU durante esta semana. Até aí, tudo bem, mas se todo este povo estive em território brasileiro, a gente já ficaria sabendo de ante-mão que todas as propostas terminariam em pizza e quem sabe isto poderia ajudar mais aos necessitados do que tanto blá-blá-blá.

Mas o ponto que quero deixar aqui é o seguinte: o que adianta tantas pessoas falarem, discursarem, apresentarem propostas humanitárias, outras de responsabilidade global social, se todas elas não vão fazer nada para torná-las realidade? A questão econômica, financeira e comercial é um questão que o Homem ainda não conseguiu equalizar com as necessidades humanas. Passam os séculos, o dinheiro muda de mãos, mas pouco é feito para dividí-lo mais descentemente.

O mundo está precisando de gente que pense e gente que execute. Outro dia a senadora Heloisa Helena disse uma frase linda: "Terás o poder para mostrar a que viestes". Será que estes homens "poderosos" entenderam? Quem ouviu o discurso de nosso presidente, deve pensar que ele vive na Europa e fala de um país subdesenvolvido lá longe, e não aqui.

Enquanto muitos falam, alguns fazem, e mais uma turma do Projeto Mutação recebeu o diploma do curso Enfrentando o futuro com coragem, na Comunidade de Paraisópolis - Morumbi - São Paulo. Alguns dos jovens, que tem muitas dificuldades financeiras para viver, conseguem fazer muitas coisas inovando. Um deles fez um curso grátis de inglês numa escola americana do bairro e hoje dá aulas de inglês para outros jovens carentes. Aprendeu a mexer com computadores e sozinho aprendeu a programar html para desenvolver projetos na Internet. Seu sonho é ser arquiteto, mas enquanto ele encontra maneiras de sobrevevier (falta comida ainda), ele decidiu criar um site para divulgar as notícias e fatos que acontecem na sua comunidade pois ela é sempre retratada como má pela mídia. Existe um esboço do site, mas ele deseja mesmo é poder imprimir as notícias e distribuir à grande maioria que não tem acesso à Web. O site dele é o Jornal da Paraisópolis Urgente ( http://geocities.yahoo.com.br/jpurgente ).

Este é um bom exemplo de gente que pensa e faz, sem quase nenhum recurso, enquanto alguns burocratas governamentais ainda estão gastando milhões de reais para estudar uma maneira de se comunicar com eles.

Bom, o Rafael está precisando de ajuda para levar adiante seu projeto. Quem tiver computadores, impressoras, máquinas fotográficas digitais, etc, novos ou usados, ele está aceitando doações. Se sua empresa está trocando os equipamentos, lembre-se dele, ok?

Quem quiser ajudar, pode entrar em contato com ele no site do jornal, ou comigo, que farei a ponte.

A felicidade está aí dentro de você. Encontre-a agora e deixe de buscar nas coisas, lugares e pessoas. Seja Feliz!

Abraços,

Marcos Aranha Ü


Publicado às 23h45.
Antes de agir, pergunte-se: estou consciente das consequencias e responsabilidades do meu ato?




[[ Clique aqui e indique para um amigo. ]]


Silêncio

Olá Amigos do Bem!

Hoje vou propor algo diferente, sem textos para reflexão, apenas um guia para você se interiorizar por alguns minutinhos.

1. desligue seu celular, bip, alarmes do outlook, alertas telefônicos, palm, etc. Se estiver com mais alguém, avise-o(s) que você precisará ficar a sós por alguns minutos, sem interrupções ou incômodos (se estiver no trabalho e faltar privacidade, vá até o banheiro, abaixe a tampa da privada e use este trono);

2. sente-se com as plantas dos pés apoiadas sobre o chão. Costas na vertical. Mãos apoiadas sobre as coxas;

3. feche os olhos. Respire 5 vezes rapidamente, inspirando e expirando pelo nariz, forçando o ar para fora;

4. sempre com os olhos fechados, respire 5 vezes lentamente, inspirando e expirando pelo nariz, normalmente;

5. sempre com os olhos fechados, respire 5 vezes rapidamente, inspirando e expirando pelo nariz, forçando o ar para fora;

6. sempre com os olhos fechados, respire 5 vezes lentamente, inspirando e expirando pelo nariz, normalmente;

7. sempre com os olhos fechados, ponha sua atenção ao ar que passa pela(s) sua(s) narinas. Sinta a temperatura que ele entra, a temperatura que ele sai;

8. observe o movimento do seu abdômem quando o ar entra, e quando o ar sai;

9. permaneça assim, em silêncio, de olhos fechados, apenas observando, sem controlar nada, apenas atento ao que está ocorrendo com o ar que entra e o ar que sai;

10. observe o movimento da respiração. Se vier algum pensamento ou sentimento, volte a focar na(s) narina(s). Permaneça assim quanto tempo puder e quiser;

11. quando for terminar, ainda de olhos fechados, inspire pelo nariz lentamente, e então abra os olhos;

12. permaneça sentado, de olhos abertos, e ainda observando o ar que entra, e o ar que sai;

13. depois de alguns segundos, levante-se lentamente e volte a fazer o que estava fazendo.

Gostaria muito de saber como foi para você esta experiência de ficar em silêncio, sem controlar nada, apenas observando a respiração. O que aprendeu? Onde mais poderá aplicar esta técnica? Escreva!

Seja Feliz! Todos os Seres merecem ser felizes!

Abraços,

Marcos Aranha Ü


Publicado às 09h37.
Antes de agir, pergunte-se: estou consciente das consequencias e responsabilidades do meu ato?




[[ Clique aqui e indique para um amigo. ]]


Raiva, quem precisa dela?

Olá Amigos do Bem!

Para começar Bem a semana, fica aqui um texto para a gente se lembrar que nós somos a nossa própria fonte de felicidade. E portanto, de outros sentimentos também. Deixo aqui um trecho do texto sobre a raiva que li no site de pilotos de helicópteros - APHESP (www.aphesp.org.br ). Reflita sobre os perigos da raiva, e Seja Feliz! Só depende de você, que é a fonte de tudo.

Abraços, Marcos Aranha Ü

Raiva: Como Controlar uma Emoção Assassina

Raiva pode variar de uma moderada irritação a fúria explosiva, e esta fúria é uma forma de insanidade temporária. Nenhum de nós pode raciocinar ou agir eficientemente se estamos furiosos. Se pilotos (leia você, ou qualquer pessoa) estão apressados e nervosos, seu(s) motor(res) pode(m) leva-lo diretamente a cena do acidente. A ira é uma emoção humana perfeitamente normal. É uma resposta que nos adapta para sobreviver as ameaças e perigos e ajuda a nos defender. Ela se torna um problema quando é imprópria, prolongada, excessiva, ou fora de controle. O homem pré histórico precisava desenvolver uma tempestade de fúria para lutar ferozmente com o urso da caverna ou o tigre dente de sabre. Mas, ele se acalmava alguns minutos após a luta ter terminado (quer seja, calmo ou morto ). Sua ira liberava uma onda de adrenalina, preparando-o para a luta ou fuga. Sua pressão arterial subia, o sangue é desviado para os músculos, o sangue coagulava mais fácil. O Neanderthal tornou-se uma formidável máquina de luta – mas somente para o período necessário.
Compare isso com o homem atual – não como o Homo sapiens aeronauticus – que pode ficar furioso na estrada e permanecer irado por horas após um incidente de trânsito ( entendido como se fosse um insulto pessoal ) mesmo depois de ter passado muito tempo. Ele ou ela podem ficar nervosos com o patrão, esposa (o), ou mesmo por causa de uma situação frustrante por dias e até semanas. Algumas pessoas ficam em um estado quase perpétuo de raiva, com a irritação sendo "cozinhada" lentamente só esperando para explodir.
Toda raiva resulta de algum tipo de frustração com alguma pessoa ou até devido a um evento externo como montar um utensílio tipo " faça você mesmo" ou ficar numa fila ou se esforçar para soltar uma porca e parafuso enferrujados. Uma coisa é certa: Uma pessoa irritada tem pouca tolerância a frustração.
A resposta natural para a frustração é a raiva. Aqui é que está o problema: Quanta raiva é normal ou apropriada? Nós ficamos nervosos toda a manhã porque as chaves do carro estão perdidas? Um vendedor rude merece arruinar uma hora ou mais do seu tempo? Você não pode sair batendo em todos que o irrita ou incomoda. Jogar a luminária pela janela da frente é extremo; ser sarcástico ou ficar de mau humor é uma forma mais leve da mesma coisa.
Cada um de nós nasce com amplos traços da personalidade que são imutáveis. Alguns são despreocupados e calmos; outros reagem rápido, tem o "pavio curto". Nossas peculiaridades indesejáveis – como tendência a raiva– podem ( e devem ) ser controladas até certo grau. Você expressa o mesmo grau de fúria com o presidente da sua empresa como o faz com um subordinado? Então, você realmente tem algum controle. Você não grita com seu patrão.

Em julho de 1997, o Beth Israel Deaconess Medical Center na Harvard Medical School reportou que " a raiva é o estado emocional associado com isquemia do miocardio ( falta de fluxo sangüíneo para o músculo do coração ) e perigosa arritmia cardíaca ( ritmo irregular dos batimentos do coração ) , responsável por pelo menos 36.000 ( 2,4% dos 1,5 milhões ) ataques do coração devido ao nervosismo nos Estados Unidos ( anualmente ). " Estourar" por qualquer coisa pode leva-lo ao hospital – ou ao necrotério. Se você se sente nervoso na maior parte do tempo ou perde o controle facilmente e não sabe porque, consulte um psicoterapeuta que lida com o mau humor. O custo pode ser o mesmo de um jogo novo de pneus para seu carro mais uma transmissão nova. Mas, poderá ser a coisa mais importante que você fará para seu casamento, trabalho, saúde – ou sua vida.
Mais de 90% do sucesso na vida é entender-se com as pessoas ( descubra o que elas gostam e faça mais; e o que elas não gostem e faça menos ). Ninguém gosta de estar ao lado de alguém que é – na maior parte do tempo – cínico, exigente, desconfiado, defensivo e hostil. Entender o que detona sua raiva tomará muito tempo e motivação. Controlar seu temperamento é tão importante como controlar sua aeronave. Além do mais, você não se tornará um piloto "de mão cheia" da noite para o dia. Fique frio.
Dicas de um psicoterapeuta especializado em controle da raiva. Primeiro, o que não ajuda? " Deixar tudo explodir" é um mito. É como jogar gasolina no fogo. O contrário, guardar muita raiva ( suprimindo-a) por muito tempo irá destruir o seu humor – e a pressão sangüínea.
É claro, meditação, contar até dez, respirar fundo, exercícios, visualizar cenas e experiências felizes, ou ioga podem ajudar alguns. Mas estas recomendações todas estão nos artigos do controle da raiva – coisas para fazer quando você já está nervoso, mas dificilmente capaz de pensar racionalmente. Use-os mas lembre-se o que você realmente quer saber é como nem deixar que a raiva se inicie.
A linha abaixo ensina como prevenir uma raiva excessiva e sem razão, raiva perigosa. Aprenda sobre seu padrão de raiva, desta forma você poderá prevenir uma raiva latente ou as explosões. O que deixa você zangado? Como você lida com isso? A raiva é um grande problema na sua vida?
Pessoas propensas a raiva sempre sentem que merecem uma consideração especial das outras pessoas e ficam muito irritadas quando não são. Respeite você mesmo, seja firme – mas não agressivo. Fale com a pessoa que o ofendeu quando você estiver calmo e de bom humor.

Uma raiva leve é OK. Tente ser objetivo e diga como você se sente a respeito das coisas. Calmamente faça todos saberem quais são suas necessidades. Compreenda que ninguém vence sempre a luta pelo poder. Você não pode sempre ajudar estando ao lado de pessoas ofensivas, mas você pode controlar como reagir a elas. Você é dono de suas emoções e respostas.
Absolutamente o melhor a fazer : Tente evitar coisas que o deixa irritado. Tente identificar, quando estiver calmo e racional, as coisas que o deixam aborrecido, e planeje o que você pode fazer para evita-las ou controla-las. Por exemplo, saia para o trabalho mais cedo e volte para casa um pouco mais tarde caso o tráfego o deixe "maluco". Melhor gastar seu tempo no trabalho do que no transito. Planeje estratégias a fim de evitar pessoas desagradáveis e situações frustrantes o mais que você razoavelmente puder. Pergunte a você mesmo, " Esta frustração é suficiente para arruinar todo o meu dia, ou mesmo uma hora?"

Por: Glenn R. Stoutt, Jr. MD Senior FAA Aviation Medical Examiner

Springs Pediatrics and Aviation Medicine Clinic Louisville, Ky.

Nota: Os pontos de vista e recomendações feitas neste artigo são exclusivas do autor e não necessariamente aquelas do FAA.


Publicado às 06h38.
Antes de agir, pergunte-se: estou consciente das consequencias e responsabilidades do meu ato?




[[ Clique aqui e indique para um amigo. ]]


O que você não fez?

Olá Amigos do Bem!

Hoje, domingo, fim de feriado, fizemos muitas coisas, ou fizemos nada...

Aproveite o fim deste dia e reflita sobre o que você não fez e tinha planejado fazer.

Separe o joio do trigo. Aquilo que era besteria vai para o lixo, não interessa. Aquilo que era importante, vai para a reflexão.

Uma vez separado o que é importante, pergunte-se: O que me impede de fazer isto? Seja honesto com você, ninguém é culpado, nem você, nem os outros.

Se a resposta que o impede for qualquer coisa ou alguém além de você, saiba que isto não é um impedimento, mas uma desculpa sua para não fazer, nem olhar para suas dificuldades. Afinal, você tem tempo, tem seus talentos, seus recursos materiais e financeiros. Se eles não são suficientes ainda, planeje então como desenvolvê-los e convencer outras pessoas a te ajudarem na realização daquilo que precisa. Depois de planejar, venda a idéia e o plano, seja para você mesmo se convencer dele, ou para outros. Por último, execute, concretize, traga aos outros a possibilidade de compartilharem o que tem de bom para todos.

Pare, olhe, escute, siga! Esta velha sinalização ferroviária para superar barreiras serve para muitas outras coisas na vida.

Simples, use-a! Seja Feliz!

Abraços,

Marcos Aranha Ü


Publicado às 13h30.
Antes de agir, pergunte-se: estou consciente das consequencias e responsabilidades do meu ato?




[[ Clique aqui e indique para um amigo. ]]

 
Previsão do dia



Linha Direta do Bem.

Clique aqui para nos escrever, mandar textos, sugestões, dicas do Bem, e elogios.

Outros sites
 Desenvolvimento Negócios & RH
 OW4Y Consulting
 ONG- SIDARTA -Educação
 ONG - Instituto Vladimir Herzog
 ONG- Corpore
 ONG Lua Nova
 ONG- Projeto Mutação
 ONG- Viva e Deixe Viver
 ONG - ADD - Assoc.Desportiva de Deficientes -
 ONG- Constelação
 ONG Casa do Sol
 ONG Teu sonho- meu sonho
 UOL
 Lembranças do capitão




Votação
Vote! Clique aqui e dê uma nota de 0 a 10 para o blog do Bem.


Histórico
11/08/2013 a 17/08/2013
04/08/2013 a 10/08/2013
10/02/2013 a 16/02/2013
12/08/2012 a 18/08/2012
05/08/2012 a 11/08/2012
03/06/2012 a 09/06/2012
22/04/2012 a 28/04/2012
11/03/2012 a 17/03/2012
17/07/2011 a 23/07/2011
05/06/2011 a 11/06/2011
15/05/2011 a 21/05/2011
27/03/2011 a 02/04/2011
27/02/2011 a 05/03/2011
20/02/2011 a 26/02/2011
26/12/2010 a 01/01/2011
19/12/2010 a 25/12/2010
07/11/2010 a 13/11/2010
31/10/2010 a 06/11/2010
03/10/2010 a 09/10/2010
19/09/2010 a 25/09/2010
01/08/2010 a 07/08/2010
13/06/2010 a 19/06/2010
06/06/2010 a 12/06/2010
09/05/2010 a 15/05/2010
02/05/2010 a 08/05/2010
21/03/2010 a 27/03/2010
14/03/2010 a 20/03/2010
07/03/2010 a 13/03/2010
07/02/2010 a 13/02/2010
13/12/2009 a 19/12/2009
06/12/2009 a 12/12/2009
15/11/2009 a 21/11/2009
08/11/2009 a 14/11/2009
01/11/2009 a 07/11/2009
18/10/2009 a 24/10/2009
11/10/2009 a 17/10/2009
27/09/2009 a 03/10/2009
20/09/2009 a 26/09/2009
13/09/2009 a 19/09/2009
06/09/2009 a 12/09/2009
23/08/2009 a 29/08/2009
16/08/2009 a 22/08/2009
02/08/2009 a 08/08/2009
26/07/2009 a 01/08/2009
19/07/2009 a 25/07/2009
12/07/2009 a 18/07/2009
05/07/2009 a 11/07/2009
28/06/2009 a 04/07/2009
21/06/2009 a 27/06/2009
14/06/2009 a 20/06/2009
07/06/2009 a 13/06/2009
31/05/2009 a 06/06/2009
24/05/2009 a 30/05/2009
17/05/2009 a 23/05/2009
10/05/2009 a 16/05/2009
03/05/2009 a 09/05/2009
26/04/2009 a 02/05/2009
19/04/2009 a 25/04/2009
05/04/2009 a 11/04/2009
29/03/2009 a 04/04/2009
22/03/2009 a 28/03/2009
15/03/2009 a 21/03/2009
08/03/2009 a 14/03/2009
01/03/2009 a 07/03/2009
22/02/2009 a 28/02/2009
15/02/2009 a 21/02/2009
08/02/2009 a 14/02/2009
01/02/2009 a 07/02/2009
25/01/2009 a 31/01/2009
18/01/2009 a 24/01/2009
11/01/2009 a 17/01/2009
04/01/2009 a 10/01/2009
28/12/2008 a 03/01/2009
21/12/2008 a 27/12/2008
14/12/2008 a 20/12/2008
07/12/2008 a 13/12/2008
30/11/2008 a 06/12/2008
23/11/2008 a 29/11/2008
16/11/2008 a 22/11/2008
09/11/2008 a 15/11/2008
02/11/2008 a 08/11/2008
26/10/2008 a 01/11/2008
19/10/2008 a 25/10/2008
12/10/2008 a 18/10/2008
05/10/2008 a 11/10/2008
28/09/2008 a 04/10/2008
21/09/2008 a 27/09/2008
14/09/2008 a 20/09/2008
07/09/2008 a 13/09/2008
31/08/2008 a 06/09/2008
24/08/2008 a 30/08/2008
17/08/2008 a 23/08/2008
10/08/2008 a 16/08/2008
03/08/2008 a 09/08/2008
27/07/2008 a 02/08/2008
20/07/2008 a 26/07/2008
13/07/2008 a 19/07/2008
06/07/2008 a 12/07/2008
22/06/2008 a 28/06/2008
15/06/2008 a 21/06/2008
08/06/2008 a 14/06/2008
01/06/2008 a 07/06/2008
25/05/2008 a 31/05/2008
18/05/2008 a 24/05/2008
11/05/2008 a 17/05/2008
04/05/2008 a 10/05/2008
27/04/2008 a 03/05/2008
13/04/2008 a 19/04/2008
06/04/2008 a 12/04/2008
30/03/2008 a 05/04/2008
23/03/2008 a 29/03/2008
16/03/2008 a 22/03/2008
09/03/2008 a 15/03/2008
24/02/2008 a 01/03/2008
17/02/2008 a 23/02/2008
10/02/2008 a 16/02/2008
03/02/2008 a 09/02/2008
27/01/2008 a 02/02/2008
20/01/2008 a 26/01/2008
13/01/2008 a 19/01/2008
06/01/2008 a 12/01/2008
30/12/2007 a 05/01/2008
23/12/2007 a 29/12/2007
16/12/2007 a 22/12/2007
09/12/2007 a 15/12/2007
02/12/2007 a 08/12/2007
25/11/2007 a 01/12/2007
18/11/2007 a 24/11/2007
11/11/2007 a 17/11/2007
04/11/2007 a 10/11/2007
28/10/2007 a 03/11/2007
21/10/2007 a 27/10/2007
14/10/2007 a 20/10/2007
07/10/2007 a 13/10/2007
30/09/2007 a 06/10/2007
23/09/2007 a 29/09/2007
16/09/2007 a 22/09/2007
09/09/2007 a 15/09/2007
02/09/2007 a 08/09/2007
26/08/2007 a 01/09/2007
19/08/2007 a 25/08/2007
12/08/2007 a 18/08/2007
05/08/2007 a 11/08/2007
29/07/2007 a 04/08/2007
22/07/2007 a 28/07/2007
15/07/2007 a 21/07/2007
08/07/2007 a 14/07/2007
24/06/2007 a 30/06/2007
17/06/2007 a 23/06/2007
10/06/2007 a 16/06/2007
03/06/2007 a 09/06/2007
27/05/2007 a 02/06/2007
20/05/2007 a 26/05/2007
13/05/2007 a 19/05/2007
06/05/2007 a 12/05/2007
29/04/2007 a 05/05/2007
22/04/2007 a 28/04/2007
15/04/2007 a 21/04/2007
08/04/2007 a 14/04/2007
01/04/2007 a 07/04/2007
25/03/2007 a 31/03/2007
18/03/2007 a 24/03/2007
11/03/2007 a 17/03/2007
04/03/2007 a 10/03/2007
25/02/2007 a 03/03/2007
18/02/2007 a 24/02/2007
11/02/2007 a 17/02/2007
04/02/2007 a 10/02/2007
21/01/2007 a 27/01/2007
14/01/2007 a 20/01/2007
07/01/2007 a 13/01/2007
31/12/2006 a 06/01/2007
24/12/2006 a 30/12/2006
17/12/2006 a 23/12/2006
10/12/2006 a 16/12/2006
03/12/2006 a 09/12/2006
26/11/2006 a 02/12/2006
19/11/2006 a 25/11/2006
12/11/2006 a 18/11/2006
05/11/2006 a 11/11/2006
29/10/2006 a 04/11/2006
22/10/2006 a 28/10/2006
15/10/2006 a 21/10/2006
08/10/2006 a 14/10/2006
01/10/2006 a 07/10/2006
24/09/2006 a 30/09/2006
17/09/2006 a 23/09/2006
10/09/2006 a 16/09/2006
03/09/2006 a 09/09/2006
20/08/2006 a 26/08/2006
13/08/2006 a 19/08/2006
06/08/2006 a 12/08/2006
30/07/2006 a 05/08/2006
23/07/2006 a 29/07/2006
16/07/2006 a 22/07/2006
09/07/2006 a 15/07/2006
02/07/2006 a 08/07/2006
25/06/2006 a 01/07/2006
18/06/2006 a 24/06/2006
11/06/2006 a 17/06/2006
04/06/2006 a 10/06/2006
28/05/2006 a 03/06/2006
21/05/2006 a 27/05/2006
14/05/2006 a 20/05/2006
07/05/2006 a 13/05/2006
30/04/2006 a 06/05/2006
23/04/2006 a 29/04/2006
16/04/2006 a 22/04/2006
09/04/2006 a 15/04/2006
02/04/2006 a 08/04/2006
26/03/2006 a 01/04/2006
19/03/2006 a 25/03/2006
12/03/2006 a 18/03/2006
05/03/2006 a 11/03/2006
26/02/2006 a 04/03/2006
19/02/2006 a 25/02/2006
12/02/2006 a 18/02/2006
05/02/2006 a 11/02/2006
29/01/2006 a 04/02/2006
22/01/2006 a 28/01/2006
15/01/2006 a 21/01/2006
08/01/2006 a 14/01/2006
01/01/2006 a 07/01/2006
25/12/2005 a 31/12/2005
18/12/2005 a 24/12/2005
11/12/2005 a 17/12/2005
04/12/2005 a 10/12/2005
27/11/2005 a 03/12/2005
20/11/2005 a 26/11/2005
13/11/2005 a 19/11/2005
06/11/2005 a 12/11/2005
30/10/2005 a 05/11/2005
23/10/2005 a 29/10/2005
16/10/2005 a 22/10/2005
09/10/2005 a 15/10/2005
02/10/2005 a 08/10/2005
25/09/2005 a 01/10/2005
18/09/2005 a 24/09/2005
11/09/2005 a 17/09/2005
04/09/2005 a 10/09/2005
28/08/2005 a 03/09/2005
21/08/2005 a 27/08/2005
14/08/2005 a 20/08/2005
07/08/2005 a 13/08/2005
31/07/2005 a 06/08/2005
24/07/2005 a 30/07/2005
17/07/2005 a 23/07/2005
10/07/2005 a 16/07/2005
03/07/2005 a 09/07/2005
26/06/2005 a 02/07/2005
19/06/2005 a 25/06/2005
12/06/2005 a 18/06/2005
05/06/2005 a 11/06/2005
29/05/2005 a 04/06/2005
22/05/2005 a 28/05/2005
15/05/2005 a 21/05/2005
08/05/2005 a 14/05/2005
24/04/2005 a 30/04/2005
17/04/2005 a 23/04/2005
10/04/2005 a 16/04/2005
03/04/2005 a 09/04/2005
27/03/2005 a 02/04/2005
20/03/2005 a 26/03/2005
13/03/2005 a 19/03/2005
06/03/2005 a 12/03/2005
27/02/2005 a 05/03/2005
20/02/2005 a 26/02/2005
13/02/2005 a 19/02/2005
06/02/2005 a 12/02/2005
30/01/2005 a 05/02/2005
23/01/2005 a 29/01/2005
16/01/2005 a 22/01/2005
09/01/2005 a 15/01/2005
02/01/2005 a 08/01/2005
26/12/2004 a 01/01/2005
19/12/2004 a 25/12/2004
12/12/2004 a 18/12/2004
05/12/2004 a 11/12/2004
28/11/2004 a 04/12/2004
21/11/2004 a 27/11/2004
14/11/2004 a 20/11/2004
07/11/2004 a 13/11/2004
31/10/2004 a 06/11/2004
24/10/2004 a 30/10/2004
17/10/2004 a 23/10/2004
10/10/2004 a 16/10/2004
03/10/2004 a 09/10/2004
26/09/2004 a 02/10/2004
19/09/2004 a 25/09/2004
12/09/2004 a 18/09/2004
05/09/2004 a 11/09/2004
29/08/2004 a 04/09/2004
22/08/2004 a 28/08/2004
15/08/2004 a 21/08/2004
11/07/2004 a 17/07/2004
04/07/2004 a 10/07/2004
27/06/2004 a 03/07/2004
20/06/2004 a 26/06/2004
13/06/2004 a 19/06/2004
06/06/2004 a 12/06/2004
30/05/2004 a 05/06/2004
23/05/2004 a 29/05/2004
16/05/2004 a 22/05/2004
09/05/2004 a 15/05/2004
02/05/2004 a 08/05/2004
25/04/2004 a 01/05/2004
18/04/2004 a 24/04/2004
11/04/2004 a 17/04/2004
04/04/2004 a 10/04/2004
28/03/2004 a 03/04/2004
21/03/2004 a 27/03/2004
14/03/2004 a 20/03/2004
07/03/2004 a 13/03/2004
29/02/2004 a 06/03/2004
22/02/2004 a 28/02/2004
15/02/2004 a 21/02/2004